quinta-feira, maio 7

Educação em período de isolamento social




Educação em período de isolamento social: um aprendizado para Todas e Todos.
Com o avanço da pandemia do novo coronavírus, o COVID-19, a suspensão temporária das aulas tornou uma realidade nova para pais e alunos. E como as escolas da rede municipal de Capitólio-MG estão vivendo uma nova experiência tivemos que buscar alternativas e estratégias de ensino para manter nossos alunos e nossas alunas voltados para nossa escola neste tempo de crise.  Pensando nisso, preparamos uma videoconferência semanal com o Conselho de Educação e Gestores com o objetivo  de debatermos um plano de aulas remotas e como estas escolas em momentos de crise pode ser atraente aos nossos alunos.
A partir da modernização de espaços, ferramentas e práticas educacionais, profissionais da educação em todo o mundo estão trabalhando por uma transformação cada vez mais profunda e efetiva no processo de ensino e aprendizagem. O desenvolvimento de um plano de aulas remotas é o momento ideal para colocarmos em prática novas ideias e fomentar as aprendizagens ativas. Vale ressaltar que o ensino a distância é benéfico, e, com criatividade, podemos enxergar grandes oportunidades, principalmente em momentos de desafios, mas, jamais, irá substituir a professora e o professor em uma aula presencial, principalmente em nossa rede municipal onde temos a Educação Integral com atividades interdisciplinares como música, xadrez, canoagem, vôlei, Oficina de Matemática, Oficina de Português, Sala de Leitura, Jornal Estudantil, Inglês, educação empreendedora, Aulas de cerâmica, computação, natação, etc. Depois de 6 anos para adaptarmos  o aluno e aluna com 10 horas na escola, uma parada como esta precisa de algo para manter este vínculo, então, optamos: pela produção e utilização de vídeos educacionais, Planos Aulas adaptados, Atividades Complementares, e-book (Facebook das Escolas, Facebooks das professoras e pais, www.semeel.blogspot.com.br, https://classroom.google.com/c/NzQyNDQxNzg0MTha, https://meet.google.com/kdd-zjmz-dqc) e ligação aos pais e alunos. Os estudantes de hoje se comunicam com desenvoltura no meio digital, às vezes mais do que seus pais e professores. A interação nesses espaços tem muito a acrescentar à prática pedagógica para o desenvolvimento do plano de aulas remotas, infelizmente, para os nossos alunos da Educação Pública a internet não chega para todas e todos e outros não desfrutam da ajuda dos pais.
Parceria com SEE e UNDIME
A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEEMG) juntamente com a Undime MG e a Equipe do Programa ProBNCC elaboraram os PETS - Planos de Estudos Tutorados, e os mesmos serão disponibilizados  para serem enviados aos alunos das Redes Estadual (através das Superintendências de Ensino) e Municipal (Através das Coordenadorias Regionais Undime MG e site) de Ensino. A Undime MG esclarece que sendo a responsável pela elaboração dos PETs dos Anos Iniciais, acordou junto à sua Diretoria que a elaboração se fez para os componentes de Língua Portuguesa e Matemática, utilizando os demais Componentes Curriculares na interdisciplinaridade. “Esta decisão se deu, não pelo fato de desconsiderar a importância dos demais Componentes Curriculares, mas por considerar a idade das crianças e as condições das famílias para auxiliá-las. Sendo assim, vimos que a interdisciplinaridade seria a melhor forma de trabalhar todos os Componentes Curriculares”, Maria Virgínia Morais Garcia – Coordenadora ProBNCC Undime- MG.
As diretrizes para a alfabetização presentes no Currículo Referência de Minas Gerais apontam que as principais habilidades do processo de escolarização para os Anos Iniciais consistem em ler, escrever realizar operações matemáticas básicas.
Com o objetivo de garantir aos estudantes oportunidades de apropriação do sistema de escrita alfabética em articulação ao desenvolvimento de outras habilidades de leitura e escrita, os primeiros anos do Ensino Fundamental devem ter como foco a alfabetização, articulada às práticas de letramento, e o desenvolvimento de habilidades matemáticas. Dessa forma o Plano de Estudos Tutorados (PETs) para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º) contemplam atividades dos Componentes Curriculares de Língua Portuguesa e Matemática.
Pensando na volta às aulas
Para o presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Luiz Miguel Martins Garcia, a diversidade de soluções no pós-crise deve atender às múltiplas realidades brasileiras.
— Não é possível pensar em uma solução única que abarque todas as crianças e jovens, visto que há níveis diferentes de autonomia e recursos. Temos que usar todos os nossos esforços para não aumentar o fosso de aprendizagem entre os alunos — alerta Garcia.
Na nota técnica Ensino a Distância na Educação Básica Frente à Pandemia da Covid-19, o Todos Pela Educação ressalta que as redes de ensino precisam, desde já, formular planos para a volta às aulas que contemplem tanto estratégias para combater a desigualdade educacional – que pode se aprofundar nesse período sem aulas presenciais – quanto novas e excepcionais demandas que surgirão, tais como o acolhimento emocional dos alunos e profissionais da educação, além de um acompanhamento mais próximo dos estudantes com maior propensão ao abandono ou evasão.
Diante do trabalho já iniciado pela Equipe de Educação em Capitólio-MG, do trabalho diferenciado elaborado pela Undime em parceria com a S.E.E. que iniciaremos na próxima semana, proponho aos membros do Conselho Municipal de Educação, Especialistas e Gestores que tragam para Videoconferência do dia 15/05/2020, propostas para utilizarmos quando voltarem as aulas. Com certeza teremos alunos em que os pais não terão condições de tirar-lhes as dúvidas, que a internet não chegará em suas casas e que devido o Isolamento Social nossas professoras e nossos professores também não poderão chegar.

Paulo Freire acreditava que a educação não poderia ser neutra, mas sim uma ferramenta de “prática pela liberdade” em que as pessoas, sendo educadas de forma crítica, poderiam transformar a sua realidade e participar da construção do mundo.
Ele prezou muito pelo diálogo com as pessoas simples e a distinção entre opressores e oprimidos como forma de conscientização na luta pela justiça social. Mesmo quando não falava diretamente sobre o assunto, ficava clara a sua orientação filosófica.
O professor é, naturalmente, um artista, mas ser um artista não significa que ele ou ela consiga formar o perfil, possa moldar os alunos. O que um educador faz no ensino é tornar possível que os estudantes se tornem eles mesmos.

“Juntos somos fortes, unidos somos imbatíveis”


Nenhum comentário:

Postar um comentário